SINDSEG-GV/ES solicita providências à SEDU para por fim nas irregularidades da empresa contratada

0
615

Nesta terça-feira (24), o presidente do SINDSEG-GV/ES, Serafim Gerson Camilo, e o diretor Welinton da Silva Oliveira estiveram reunidos com os representantes da Secretaria de Estado da Educação – SEDU para tratar das irregularidades detectadas no contrato firmado com a empresa Monitore de Segurança Patrimonial.

Segundo o presidente Serafim Gerson Camilo, foram identificadas cobrança indevida do seguro de vida dos vigilantes; atraso de pagamento de pensão alimentícia; e falta de disponibilização de Uniformes e de EPIs para os vigilantes. “É importante o diálogo entre o sindicato e a contratante, neste caso a SEDU, a fim de possibilitar eficácia na solução ou evitar o descumprimento das cláusulas contratuais, bem como dos direitos garantidos na Convenção Coletiva de Trabalho – CCT.

Serafim também ressaltou que o sindicato continuar fiscalizando e acompanhando e, se necessário for, buscará a justiça do trabalho para garantir que os trabalhadores tenham seus direitos resguardados e garantidos.

Na ocasião, o gerente da SEDU, Wilson da Silva Athaydes, ponderou que há fiscalização na execução das atividades e das obrigações contratuais da contratada. Quando constatada irregularidades a contratada é notificada, podendo haver sanção de multa. O gerente ainda entregou um ofício ao SINDSEG, por meio do qual, solicita que o sindicato forneça informações sobre a regularidade das empresas de vigilâncias que prestam serviços no contrato no que diz respeito ao cumprimento da Conversão Coletiva de Trabalho do SINDSEG-GV/ES.

O diretor do SINDSEG Welinton da Silva informou que a Monitore pagou incorretamente, no mês de agosto, o Ticket Alimentação dos funcionários. Portanto, Welinton solicitou a SEDU medidas cabíveis para solucionar a pendência.

Questionado sobre a situação do contrato pelo sindicato, a gerência da SEDU informou que haverá realização de nova licitação. Também confirmou receber inúmeras denúncias de irregularidades contra a empresa Monitore, e tem apurado e realizado fiscalização nas escolas públicas estaduais. Confirmaram também que houve prorrogação dos contratos das empresas Plantão, SEI e Transegur.